RSS

Arquivo do autor:randomnimus

Sobre randomnimus

Late 20´s, starting over (again!!!), bad photographer, pianist and guitarist (good thing they are hobbies!) starting this blog thing out as a college assignment.

Who dat? New Orleans

Tem algo pior do que não achar suas fotos? Então, este blog começa em tom de lamento! Não gosto de postar fotos que não são minhas, mas neste sou obrigada porque não consigo achar as fotos da minha viagem! Acho que se perderam com o maldito HD portátil que só funcionou por 1 mês. ARGH, ódio!

Então, lamúrias feitas, vamos ao que interessa. New Orleans! Ô cidadezinha maneira! Para começar, devido a sua localização geográfica, já apresenta inverno ameno, o que possibilita para uma visitinha fora de época e das passagens ao hotel, tudo mais barato! Claro, se você deseja vivenciar Mardi Grass ou New Orleans Jazz Festival (só curti a Mardi Grass), você vai ter que desembolsar como um turista normal, do contrário, as outras atrações estarão lá!

Vamos a elas:

French Quarter:  Certamente a vizinhança mais popular da cidade, Bourbon Street é palco de diversão 24 horas por dia. Os bares lado a lado, por blocos a fio abertos 24 horas por dia todos os dias do ano são uma atração por si só. É possível ouvir da calçada as músicas dos bares, muitas vezes de bandas ao vivo, misturando o jazz e o  blues no ar. Só espere uma rua lotada assim nos feriados populares. Fora de época a rua é super tranquila de trafegar e você não precisa se preocupar em ser “flashed” (quando uma mulher levanta a camisa e mostra os seios). Isso só acontece na época da Mardi Grass, que é o carnaval deles. Você já deve ter ouvido falar. As pessoas que ficam dos andares de cima, das sacadas, muitas vezes jogam os cordões coloridos para as pessoas da multidão vestirem. Vai muito do que você quer fazer para se divertir em New Orleans. Odeio multidões de bêbados suados muito próximos a mim, logo Bourbon Street fora de época é o máximo. Você caminha em paz, aprecia a arquitetura francesa do século XVIII, entra e saí dos bares sem passar sufoco, não precisa lutar para pedir uma cerveja gelada…

Cafe du Monde: Estabelecido em 1862, o Café é um clássico ponto turístico, de relevância até econômica. Quando o Furacão Katrina passou pela cidade, o lastro de destruição não perdoou nada. Havia dúvidas da recuperação da cidade, da capacidade da administração pública reverter o quadro calamitoso, dúvida se os refugiados retornariam à cidade e dúvidas se os turistas ainda se sentiriam atraídos. Exemplificando a raça do povo conhecido pelo famoso “Who dat?” Abriu suas portas apenas 6 semanas após o fatídico episódio. A reinauguração foi até televisionada ao vivo por vários canais até europeus e assim com este marco, aos poucos a cidade começou a se reerguir.

House of Blues: dispensa apresentações. Não deixe de ir! Antes mesmo de viajar, visite o site e agende um show. Assim como a de Boston, a House of Blues New Orleans é uma das mais tradicionais. Uma peculiaridade: o lugar é menor do que você imagina, mas bem menor,  espremido entre 2 edifícios em uma rua perpendicular a Bourbon. Apenas pergunte onde é, alguém falará, “right over there, 2 or 3 blocks over dat way!”

Passeie pela história americana a bordo da balsa que cruza o Rio Mississippi em New Orleans. É legal, grátis e você irá reconhecer o cenário do filme Deja-Vu (com o Denzel Washington). (Ah uma dessa aqui em Floripa, para aliviar o tráfego da entrada e saída ÚNICA da Ilha de Santa Catarina, conhecida como Florianópolis…) Perto de onde você pega a balsa do lado de New Orleans, você já pode até almoçar por lá, no Bubba Gump. O nome é familiar? Pois então, o restaurante que ganhou vida no filme Forrest Gump está lá e o camarão é perigoso! Não se espantem com as filas. Elas andam rápido. Outro prato típico da culinária crioula que deve ser experimentado enquanto em “N’awlins” é ostra gratinada. Nossa, até quem não gosta adora!

Já cobrimos o que fazer, onde e o quê comer; agora, onde ficar:

 Não é barato, eu aviso logo, só que a localização é ímpar. Se você estiver a pé, estará bem servido e se estiver de carro não precisará pagar para estacionar. Estacionamento é um problema em NOLA, especialmente em alta temporada. Outras opções de hotel são pequenos bed and breakfasts no coração do french quarter. A grande vantagem é uma grande desvantagem: você está no coração do bairro. Nem pense em reclamar do barulho na hora de dormir. Onde ficar em NOLA vai depender muito da sua prioridade porque algo você vai ter que comprometer. Se você não quiser comprometer, viaje em 4 pessoas e fique no mesmo quarto com 2 camas de casal (double beds) Está opção é muito comum nos Estados Unidos e assim barateia a viagem em muito, possibilita que você se hospede melhor e, além do mais, é sempre bom ter com quem dividir estes momentos especiais!

Só relembrando que as fotos não são próprias, retiradas do Google Images e sem tratamento.

 

 

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 22/11/2011 em Viagens

 

Tags: , , , , , , ,

O que acontece na Fabulosa Vegas…

Atire a primeira pedra quem nunca pensou em cometer um pecadinho! Não ser tão politicamente correto ou fazer algo do qual “mamãe” não se orgulharia. Beijar um estranho ou perder mais dinheiro que você tinha ou quem sabe até sair do armário por uma semaninha? Pois então, não é à toa que existe o ditado “O que acontece em Vegas fica por lá”.

Las Vegas, também conhecida como Disney para adultos é um dos destinos mais populares do mundo. Festas de solteiro, casamentos de última hora e festas de divórcio, todas ocorrem por lá. A minha maior surpresa  foi conhecer uma Vegas além do profano. É, pronto falei! Além do profano, além do que você quer fazer mas não quer que ninguém saiba. O Strip,aquela rua LOTADA de casinos magníficos é super limpa a ponto de você achar que está em um cenário, sem comentar no tributo à arquitetura que é a cidade. Comecemos pelo fato de ser um deserto que não estaria ali se não fosse pelo Homem e sua mania de conquistar a natureza e represar o Lago Mead.

Se você é que nem eu e não vê a mínima graça de ir a Vegas porque você não pensa em fazer nada do que você se arrependeria eu te digo: vale a pena sim! Eu fiquei surpresa em ver a organização e a limpeza da cidade. Tudo bem que para um bom brasuca, qualquer cidade americana esbanja organização, mas Vegas ainda te vende a ilusão de que o Strip é o reflexo de TODA a cidade porque é a única coisa que o turista médio vê e neste simples fato já vale. Também a facilidade de navegar a cidade, seja a pé (recomendado) ou de carro alugado. Tudo é extremamente bem sinalizado e TODOS casinos oferecem estacionamento de graça! Então, vamos ao que interessa:

Vegas para mortais:

Onde ficar: Harrah’s, no MEIO do Strip. Não vale a pena ficar afastado porque não é recomendável andar fora do Strip ou longe dele e o preço, quando comparado aos demais Casinos no Strip é sem dúvida o melhor custo benefício devido a sua localização e amenidades. De preço semelhante mas longe da bagunça está o Stratosphere (aquele com uns brinquedos radicais no topo, por sinal, a vista lá de cima é recomendadíssima!). Eu fiquei neste porque eu tinha um carro alugado (e porque eu não botei fé no Harrah’s) Para quem curte uma melodia caipira americana, o popular cantor Toby Keith tem um restaurante no Harrah’s, nomeado pela sua famosa música “I love this bar“.

Opções de comida não faltam. Por sinal, por $15 você acha um almoço estilo All you ca eat e muito bom. Cada Casino tem inúmeros restaurantes, se você não gostou da cara da comida oudo preço, simplesmente procure outro. Como eu aluguei carro, eu comi no Mac Droga. Nada é mais barato do que o Menu de $1 dolar!

DICA DE OURO: beberrões, enquanto no Casino, botando dinheiro na máquina, os drinks servidos são GRÁTIS, você só deve dar gorjeta para a garçonete. Abre essa mão! 2 dólares para o primeiro que ela trouxer e depois $1 por bebida.

Não perca: O Jardim do Bellagio, que sempre tem uma exibição muito linda. Na minha visita foi a maior exibição de oliveiras esculpidas no mundo. O show de águas do Bellagio, o show dos Piratas do Treasure Island e simplesmente observar os adultos passeando nas “gôndolas” do Venetian não tem preço! Também Old Vegas foi revigorada. Eu não tive oportunidade de ver porque fui sozinha e me disseram que Vegas não é o lugar para você ficar dando sopa. Por sinal, dica generalizada, não dê sopa. Hoover Dam: todos os dias saem excursões para a represa. Verifique com a recepção do seu hotel.

Olha só os adultos nas gôndolas do hotel...

 
1 comentário

Publicado por em 19/11/2011 em Sem categoria

 

Tags: , , , , , , ,

Cataratas do Niágara

Na divisa com o estado de Toronto no Canadá está a cidade de Niagara Falls. Se você planeja conhecer a capital mundial de “Lua-de-mel” e perder o fôlego admirando a paisagem, aqui seguem algumas dicas:

Primeiro: para chegar lá: Buffalo é o hub mais próximo e do aeroporto saem ônibus de meia em meia hora para as cataratas. Neste destino vale a pena levar um tênis bem confortável e andar pela cidadezinha. É tudo perto e a distância dos estacionamentos públicos para as atrações são as mesmas que a dos hotéis. Não vale a pena alugar um carro. Outra, a cidade é super fácil de navegar e ainda passa um trolley (grátis) fazendo paradas pelos pontos turísticos, assim você pode descansar um pouco.

Atrações: além do óbvio ponto de observação ao topo, há a Maid of the midst (barquinho valente que quase chega na queda!), Cave of the winds, que é uma caminhada até a beirinha da queda d’água, onde você pode ir até o Hurricane Deck e sentir ventos com força de tornados, causados pelo volume d’água.

Você pode comprar um pacote de atrações por $33 dolares que vale muito a pena. Estão incluídos ambos passeios mais a visita ao aquário.

Comida: Starbucks e Hard Rock são suas opções conhecidas e por razões desconhecidas, há dezenas de restaurantes indianos! Dá tranquilo para seguir o orçamento de $30 dólares por dia em refeições.

Dica: se você se organizou e pegou o visto para ir ao lado canadense também (embora a melhor vista esteja no lado americano pois Horse Shoe Falls estão em território canadense) tenha troco, pois para entrar de novo você precisa ter .50 centavos (tanto faz de dólar americano ou canadense) e se você não tiver, não entra! O Casino na divisa do lado canadense é um bom lugar para pegar (ou perder) um trocado antes de voltar!

Chegado em aventura? Whirlpooljet, faça!

Curiosidade: dentro de um mini mercado próximo ao Holiday Inn Express há um “museu” com as cápsulas já utilizadas por daredevils que desafiaram a força da natureza. É grátis e no meio de tudo.

Embora seja atração turística 365 dias por ano, setembro e outubro são os melhores meses para visitar. Por quê? As férias escolares já acabaram, o calor está mais ameno porém quente o suficiente para permitir encharcar-se na Cave of the Winds.

 

 

 

 

 

 
1 comentário

Publicado por em 26/10/2011 em Sem categoria

 

Tags: , , ,

Tá com frio? Vá esquiar!

Se você passou a virada do ano em Nova Iorque e fez uma esticada até Boston, porque não dirigir só mais um pouquinho ao norte e esquiar? Afinal, chega uma hora que chocolate quente enjoa e tanto vinho pode causar asia!

De todas as opções a 3 horas de direção, a minha preferida é sem sombra de dúvida Mount Sunapee, em New Hampshire! A atmosfera alegre e mesclada (não é uma montanha estritamente familiar nem estritamente para adultos) é perfeita para quem quer esquiar sem dirigir muito.

New Hampshire é tido como o parque de diversões de New England. Todos vão para lá praticar esportes e o inverno não seria diferente. As opções são tantas que eu talvez fale de cada montanha separadamente…

Mas, vamos falar de Mt Sunapee. 60 trilhas de diversão! Se eu fosse você evitava as árvores! A minha favorita é Upperblast. Pegue o express quad até o topo e venha embalado pela esquerda. A primeira caida a direita é Upperblast! Embora seja black diamond, a dificuldade está mais por ser estreita do que pela inclinação. Então, se você fatorar a trilha estreita, inclinação e outros skiers…pode complicar, por isso, faça sua volta de aquecimento (sugiro Williamson Trail) e vá direto para Upperblast. Embora Mount Sunapee tenha sido eleita por 5 anos seguidos a melhor superfície para esquiar, eles não conseguem fazer milagre! A neve derrete um pouco com o sol do meio dia e o caminho vai ficando marcado, a não ser que seja um inverno glorioso! Vai-se a New England pela superfície lisa e não pela neve fresca! Quer esquiar em neve fresca vá para o Oeste.

É chegado em adrenalina? Six O’ Three terrain park é para você. Todos os níveis de dificuldade atentidos pelo Spruce triple e não se envergonhe: várias pessoas apenas sobem até o parque para observar os bravos e descem pelo lado dos features. Apenas seja consciente de não parar onde alguém vai aterrisar.

Esforço não é para você? Fique no lodge à beira da lareira.  No lodge secundário, onde é permitido levar seu lanche de casa, há música ao vivo no pub no segundo andar. Se você não esquiou, você merece a cerveja porque passou o dia lá esperando o resto da turma e se você esquiou e está arrasado, precisa recarregar as baterias!

Quanto ao equipamento, chegue mais cedo para evitar a fila dos aluguéis, abra a mão e alugue um capacete! Ele salva vidas. (já salvou a minha, várias vezes. Eu acho que eu sou um caso crônico de mais sorte do que juízo!) Não há aluguel de trajes.

Dica: se você nunca esquiou e só quer fazer para ver como é, não vá de calça jeans. Parece óbvio mas as pessoas esquecem que neve derrete em contato com calor (seu corpo caindo várias vezes!)

Quanto a roupas: Vá com uma calça de andar de moto, e por baixo um moleton fininho. Esquiar ou fazer snowboard são exercícios mais pesados do que você imagina e você se manterá aquecido. Mesma coisa para a parte de cima. Se manter seco é tão ou mais importante do que se manter aquecido. Evite lã. Lã é ineficiente e não transpira. Roupas de inverno apropriadas para estas atividades podem até ser encontradas aqui, em lojas como Capitão Malagueta, mas se você puder fazer compras assim que chegar nos seu destino, procure TJMaxx ou Marshall´s ou Burlington Coat Factory e compre o mesmo casaco por 1/4 do que você pagaria aqui. Outra dica de ouro: UNDER ARMOUR baselayer. É caro mas vale a pena. A Nike até faz produto similar, só que nem se compara à qualidade da Under Armour. Quanto a botas, qualquer loja de material esportivo vai vender uma bota a prova d’agua por U$30. Um ótimo negócio se você não planeja usar novamente ou não tem muita grana sobrando. Compre uma meia smartwhool, toewarmers (adesivos que quando retirados do saco emitem calor por determinado período de tempo) e fique seco e quentinho!

 
1 comentário

Publicado por em 25/10/2011 em Sem categoria

 

Tags: , , , , ,

Boston

Boston é sem dúvida a capital mais interessante dos Estados Unidos. Primeiro que é de fato a capital do Estado, ao contrário das outras metrópoles americanas, segundo, berço da independência, cada canto respira História e Futuro.

Se você gosta de cerveja, outro motivo para visitar Boston! Ai vai um fato histórico pouco conhecido: Samuel Adams, um dos pais da revolução americana e filho de cervejeiro deu nome a marca mundialmente conhecida, Sam Adams. A primeira fábrica é hoje museu da cerveja, oferecendo tours todos os sábados. Ao contrário da Eisenbahn, este tour histórico não tem custo, (sugere-se a quantia módica de U$2) começa pela entrada da fábrica e você acompanha de fato o processo produtivo, seguindo o lêvedo de sua forma mais bruta até sair geladinho de um tonel cheio de bebida dos deuses. No fim da jornada, você pode experimentar 4 tipos diferentes de cerveja e se empolgar na loja de souvenirs! Altamente recomendado!

Outro clássico é o Boston Common: Situado no coração da cidade, primeiro parque público do país, fundado em 1630. (Aliás, quase tudo lá é primeiro, tendo sido o berço da colonização inglesa!) Vale a pena dar uma caminhada por lá, atravessar a rua e ir direto ao Public Garden.

Passe o Gardens e siga em direção a Newbury Street (quem sabe Gisele Bundchen não está por lá…)e vislumbre as vitrinas mais caras da cidade. Antes que você se sinta mal, dobre e faça uma meia volta volver novamente em direção ao Gardens pela Boylston St e compre a vontade! Se toda essa andança te deixou com fome, vá direto a Faneuil Hall e escolha a procedência da sua comida. Não é Epcot Center, mas todas as etnias estão representadas lá!

O que fazer:

Freedom Trail: caminhada por 16 lugares históricos de 2.5 milhas. Só seguir os tijolos vermelhos!

Faneuil Hall Marketplace: Coma e beba bem e barato! Se quiser badalar a Hard Rock Café está do outro lado da rua.

TD Bank North (Garden): casa dos Celtics e Bruins e shows em geral, passe lá para conferir. (Eu vi Aerosmith e Madonna lá).

New England Aquarium também na mesma região.

Já assistiu um jogo de baseball? Vá ao Fenway Park, america´s most beloved ball park (o mais velho também!) . Também na linha do trem! Atente ao detalhe que são 5 linhas verdes então siga os torcedores vestidos a carater!

Hospede-se na linha do trem. Assim você não precisa alugar carro e depender do ônibus! Cheque o mbta.com para saber as rotas do transporte público, mas ficar em brookline é legal.

 
2 Comentários

Publicado por em 24/10/2011 em Sem categoria

 

Tags: , , , ,